Viagem para Islândia – dicas & confissões de uma blogueira

Viagem para Islândia – dicas & confissões de uma blogueira

Já faz 40 dias que voltei da Islândia e só agora consegui publicar o meu primeiro post sobre a viagem. Não, eu não estava super ocupada, eu estava  insatisfeita com os meus textos. Tudo o que eu “colocava no papel” parecia não fazer jus às maravilhas que eu vi.

Mas, depois de conversar com uma querida amiga que também é blogueira, eu entendi que talvez eu não consiga transmitir com palavras o quão especial foi essa viagem (e tudo bem). Eu espero, pelo menos, inspirar mais pessoas a irem até lá para entender o que eu senti.

A Islândia é um lugar mágico! Eu tinha expectativas altas sobre esse país e posso dizer que mesmo assim fiquei surpresa com a sua beleza natural. Parece que estamos em um mundo de fantasias, cheio de arco-íris, cachoeiras e ovelhinhas. É. Muito. Lindo.

Viagem para Islândia

Como foi nossa viagem para Islândia

Nós fizemos a volta na Islândia pela Ring Road de motorhome e foi inesquecível!

Viagem para Islândia

Confesso que é uma viagem complexa de planejar – muitas decisões a serem tomadas e diversos detalhes a serem pensados (a propósito, caso você ainda não saiba, eu amo planejar viagens).

Por isso, neste post inicial da série ‘Viagem para Islândia’, darei  algumas dicas para ajudá-lo(a) nas primeiras decisões. Além disso, vou contar curiosidades sobre esse país tão surpreendente.

Preparado(a)?


Sobre a Islândia

A Islândia é uma ilha que fica bem ao norte (tipo, muito ao norte) do Oceano Atlântico, um pouquinho ao sul do Círculo Polar Ártico. Pode parecer bobagem, mas eu acho esse detalhe muito especial, afinal, eu nunca tinha estado tão ao norte da terra. Juro que essas pequenas coisas me emocionam.

O país é bem pequeno – quase do tamanho do estado de Pernambuco. Porém, por mais irônico que seja, tudo na Islândia é grandioso – lá estão alguns dos maiores e mais ativos vulcões do mundo, os maiores fiordes e a maior cachoeira da Europa. Para completar o pacote “país incrível”, a Islândia também tem géiseres, praias de areia preta, campos de lava, lagoas glaciais, piscinas geotermais e icebergues. Uma loucura.

Viagem para Islândia

* Curiosidades:
– O idioma oficial é o islandês, mas lá todo mundo (também) fala inglês – não tivemos nenhum problema para nos comunicarmos.
– A água da Islândia é abundante e super limpa. Em qualquer lugar você encontra água gratuita (da torneira).
– Apesar de ser super ao norte do globo, na Islândia não faz tanto frio quanto as pessoas imaginam. A temperatura mínima no inverno é de, em média, -2 graus Celcius. Super ok, né?
– As ovelhas estão por toda parte na Islândia. Elas superam o número de humanos! São mais de 800 mil ovelhas e apenas 335 mil habitantes. Vou falar mais sobre elas na minha série de posts.
– Os islandeses acreditam em duendes! Isso mesmo, duendes fazem parte das crenças e da cultura de população local. Existem histórias (verdadeiras, porém doidas) de obras públicas que foram modificadas por causa dos duendes.
– Na Islândia venta muito, por isso, há poucas árvores por lá, a vegetação é praticamente rasteira.
– Os dias de verão são super longos, quase não há noite entre maio e julho.

Clima na Islândia

O clima na Islândia é bem diferente do que eu imaginava. Quase nunca faz calor, obviamente, mas o inverno não é rigoroso. No gráfico abaixo, dá para ver que as mínimas no inverno ficam em torno de -2 Celsius, porém, as máximas do verão não passam muito de 13 graus.

Temperatura em Reykjavik (Fonte: weather.com)

Se pensamos que o país está quase no Círculo Polar Ártico, esse “inverno ameno” é bem impressionante. O fenômeno é resultado da corrente marítima do Golfo, água quente que sai da América Central em direção ao norte da Europa.

É importante salientar que o tempo vira muito rápido por lá. Num mesmo dia pode ter sol e um “calorzinho”, chuva, vento frio e fog. Esteja preparado para as mudanças. Nós fomos em setembro e choveu quase todos os dias, mas também fez sol todos os dias. Ou seja, é tudo meio imprevisível – leve capa de chuva, camadas de roupas e não se intimide se o tempo estiver feio, a Islândia é linda de qualquer jeito.

Importante: as temperaturas acima são na capital Reykjavik. No norte do país pode fazer mais frio. Verifique a previsão do tempo quando fizer a sua mala.

Quando ir para a Islândia

Tudo depende do seu objetivo. Sem dúvida a temperatura em julho e agosto é a mais agradável. Além disso, chove menos nessa época, o que é melhor para fazer trilhas e curtir as paisagens.

Se você quiser ver o fenômeno do sol da meia-noite, vá em meados de junho, quando eles têm aproximadamente 21 horas de luz do sol por dia! Eu acho que deve ser uma experiência bem bacana.

Porém, para quem quiser aumentar as chances de ver a aurora boreal, a melhor época é de meados de setembro a final de novembro. Nós arriscamos a sorte e fomos no início de setembro. Adivinhe?! Vimos a aurora bem lindona duas vezes. Depois vai ter post contando tudo.

Viagem para Islândia

Quanto tempo ficar na Islândia

O ideal, para poder explorar bem o país, é ficar no mínimo 10 dias (isso é o que todos os guias de viagem afirmam). Porém, dá sim para fazer a ring road em menos tempo.

Nós, audaciosos que somos, fizemos a volta pelo país em 6 dias. Claro que teríamos feito mais paradas se tivéssemos mais tempo – mas o bom é que agora eu tenho motivos pra voltar (e pode ter certeza que eu vou voltar).

Islândia de motorhome

Viagem para Islândia

Porque alugar um motorhome ou campervan?

Se você quiser conhecer tudo o que a natureza da Islândia tem a oferecer, a melhor opção é fazer uma roadtrip (viagem de carro). Ou seja, você vai descer no aeroporto internacional e depois fazer a volta na ilha dirigindo.

Existem duas opções para esse tipo de viagem:

1. Alugar um carro e dormir em diferentes hotéis/pousadas.

2. Alugar um motorhome e viajar com a sua “casinha”.

Se você é aventureiro e gosta de experiências diferentes, a segunda opção é sem dúvida a melhor! Não depender de hotéis ou pousadas dá mais flexibilidade para mudar o roteiro, afinal, você pode literalmente dormir em qualquer lugar.

Nós dormimos todas as noites em campings, pois era prático para tomar banho, conectar o motorhome na eletricidade, etc. Nos próximos posts vou explicar todos os detalhes de como funcionou o aluguel, onde dormimos, o que deu certo e o que não deu.

E aí, ficou com vontade de conhecer a Islândia? Aguarde os próximos posts da série. Você vai se apaixonar.

7 thoughts on “Viagem para Islândia – dicas & confissões de uma blogueira

  1. Eba, os posts vão começar a sair!!! :)

    Entendo super o que vc falou, é muito difícil explicar como são as coisas lá… Eu continuo seguindo perfis no insta de lá, contas no twitter… A cada coisa que leio me dá um quentinho no peito, uma saudade… Nós ficamos 10 dias, mas acho que o ideal mesmo seria uns 15 (ou uns 30, 60… hahahaha)

    Beijo!!

    1. Siiiim, o ideal é passar muito tempo, hahaha. Mas, no caso das pessoas terem poucas férias como eu, acho que vale a pena ir mesmo assim. Eu olhos as fotos e morro de saudades!

  2. Não precisa se preocupar. O roteiro e as fotos para variar são de extrema qualidade. Parabéns.

    Só por curiosidade não sei de conhece o premiado filme “A Ovelha Negra” – Na Islândia, a população de ovelhas é maior que a de seres humanos. Os animais têm grande importância no país, em boa parte composto por grandes fazendas destinadas a criá-los. Um dia, após ser derrotado no concurso anual do melhor cordeiro, o fazendeiro Gummi (Sigurour Sigurjónsson) decide investigar o animal vencedor e logo desconfia que ele tenha scrapie, uma doença contagiosa entre os animais. Quando a ameaça se confirma, todas as fazendas das redondezas são obrigadas a matar suas ovelhas, o que para muitos é considerado uma verdadeira tragédia. Só que, decidido a proteger seus animais prediletos, Gummi elabora um plano para que eles escapem da matança.

    Segue o link. Abçs.
    http://www.adorocinema.com/filmes/filme-237181/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.