Final de semana no Alasca

Eu comentei neste post que fomos para o Alasca em busca da aurora boreal. Agora vamos aos detalhes.

Fomos com dois casais de amigos que também queriam muito ver a aurora (os mesmos com quem fomos para o Havaí). Pesquisamos a melhor época e local e decidimos ir para Fairbanks em setembro. Estávamos muito empolgados! Eu comprei até lente e tripé novos para a minha câmera. Além disso li vários blogs de fotógrafos especializados. Super preparada para fazer fotos lindas do céu.

Por ser bem ao norte do globo, o Alasca é um estado com alta incidência de aurora. Em Fairbanks ela é visível aproximadamente 200 dias por ano e acontece tanto no verão quanto no inverno. Porém, no verão os dias chegam a ter 21 horas de luz, o que torna impossível ver o fenômeno. As melhores épocas são setembro/outubro ou março/abril. Dizem que, se uma pessoa passar 3 noites em Fairbanks (exceto no verão), a chance de ver a aurora é de 80%. Como ficamos duas noites, a diríamos que nossa chance era de 53%.

O vôo de Seattle para Fairbanks é de 3 horas. Fomos numa sexta-feira à tarde e voltamos domingo. Toda a experiencia foi muito legal. O Alasca é um lugar pitoresco e muito diferente de tudo o que estamos acostumados.

Nós alugamos um carro confortável, pois sabíamos que íamos passar duas noites nele, olhando para o céu. E assim fizemos. Quando chegamos, na sexta à noite, fomos jantar em restaurante bem simples, nada turístico. Depois dirigimos até um local bem afastado da cidade e lá ficamos até umas 4 da manhã. Sem sorte nesse dia. Nada de aurora, mas muita diversão com amigos – 6 pessoas dentro de um carro olhando pro céu? Imaginem quanta besteira foi falada!

No dia seguinte acordamos tarde e saímos para um brunch. Foi bem interessante, até provamos linguiça de rena. É uma delícia, juro! Depois do brunch dirigimos para North Pole, uma cidade pertinho de Fairbanks (20 minutos de carro). A maior atração de North Pole é uma gift shop chamada The Santa Claus House (Casa do Papai Noel). Já que o verdadeiro Pólo Norte não tem terra firme (só gelo) os turistas ficam satisfeitos em visitar North Pole no Alasca e dizer que foram na casa do Papai Noel.

North Pole - Alasca

Outra curiosidade sobre Fairbanks é que a cidade é a capital mundial de arte no gelo. Onde tem arte tem museu, não é mesmo? Em Fairbanks tem um museu todo de gelo :). Nele encontramos diferentes obras, incluindo um jogo de xadrez enorme, uma lareira e 4 galerias com temas variados. Além disso eles têm um bar, onde o balcão, mesas, bancos e até as taças são de gelo. Bem divertido.

Fairbanks - museu todo de gelo

Fairbanks - museu todo de gelo

Fairbanks - museu todo de gelo

Agora uma curiosidade tragicômica: o museu derreteu em julho de 2004, ano em que as temperaturas no verão chegaram a 38 graus Celsius. Mas eles não desistiram e inauguraram um novo museu em janeiro do ano seguinte, desta vez preparado para aguentar qualquer temperatura. Haja energia!

O Aurora Ice Museum fica no Chena Hot Springs Resort, localizado a 100 km ao norte de Fairbanks. O valor do ingresso é $15 por pessoa e os horários dos tours 11:00, 13:00, 15:00, 17:00 e 19:00. Os ingressos devem ser comprados com 15 minutos de antecedência. Eles emprestam casacos bem pesados para os visitantes.

Fairbanks - Alasca

Quando estávamos voltando do museu, passamos por este fox na estrada. Foi o animal mais selvagem que vimos solto. Eu queria ter visto um urso (de longe)

No sábado à noite repetimos a programação da sexta: fomos até um local distante da cidade para esperar a aurora. Essa noite foi muito engraçada. Quando estacionamos eu logo montei o tripé e deixei a câmera preparada. Abertura e exposição ideais para capturar todas as cores da aurora! Tava frio, então ficamos dentro do carro. Exceto o Gordo. Ele tomou um um energético e ficou elétrico. Sério, muito elétrico . Enquanto todos estavam cochilando no carro ele ficou do lado de fora fazendo polichinelos e fotografando a lua, que estava lindíssima naquela noite. Quando ele cansou, voltou pro carro – e trouxe a minha câmera junto.

Fairbanks - Alasca_4

Fairbanks - Alasca_2

Corta para algumas horas depois. A aurora começou, todos saímos do carro apressados. Eu fui direto em direção ao tripé e… cadê a camera que eu tinha deixado prontinha para o click?! Estava dentro do carro! A nossa aurora durou menos de 2 minutos, não foi muito intensa e parte deste tempo eu fiquei tentando arrumar as configurações da câmera. A única foto que fiz ficou fora de foco e horrível. Todos ficamos decepcionados porque estávamos esperando muito mais (e sabemos que podia ter sido muito mais). Ou seja, continuamos em busca!

Fairbanks - Alasca_1

Aurora #sqn

No dia seguinte, antes de ir embora, fomos visitar a Trans-Alaska Pipeline, ou melhor, um trecho dela que passa por Fairbanks. Trans-Alaska é um grande oleoduto dos EUA, com aproximadamente 1.300km de comprimento. Ele liga os campos de petróleo do norte do Alasca a um porto marítimo, onde o petróleo pode ser enviado para outros estados do país, para refinamento. Mais de 88mil barris de petróleo são transportados por hora pelo oleoduto.

Trans-Alaska Pipeline_Faibanks

Trans-Alasca Pipeline

Trans-Alaska Pipeline

Algumas curiosidades sobre o Alasca:

  • O petróleo é recurso natural mais valioso do estado. A área inclui a maior reserva de petróleo na América do Norte.
  • O ponto mais alto da América do Norte fica no Alasca: Mt. Denali 20.320 pés acima do nível do mar
  • 17 dos 20 picos mais altos nos Estados Unidos estão localizados no estado
  • A maior cidade do estado é Anchorage, com 300 mil habitantes. A segunda é Fairbanks, com apenas 32mil.

9 Comentários

  • Marcela
    6 de maio de 2016 at 1:36 PM

    Ah, mas não vão ser os 20 dias ali tão perto de Fairbanks… Estamos pensando em duas noites por lá, e o resto vai ser mais ao sul… Apesar que, né… Se tiver aurora de verdade (aquelas com bastante atividade!), vai dar pra ver, mesmo se a gente tiver mais pra “baixo”…
    :)
    Torcendo bastante também viu… hahaha
    Beijão!!!

  • Marcela
    6 de maio de 2016 at 5:10 AM

    Aah… E só uma correção… O Mt. McKinley mudou de nome oficialmente ano passado… Agora ele é o Mt Denali mesmo, como a população queria já há muito tempo…
    :)

  • Marcela
    6 de maio de 2016 at 5:08 AM

    Oi Camila!! hahaha Adorei!!!
    Eu nem to pensando muito na aurora, sabe? Pq eu sei que apesar da gente estar indo em uma das épocas certas (estaremos em Fairbanks em setembro), existe um conjunto de fatores pra ela acontecer e nós precisamos de sorte!! Então, claro, eu to procurando infos sobre as configurações da maquina para fotografar, vendo lugares indicados pra ficar esperando… Mas não vou ficar desapontada se não rolar… Faz parte de toda a experiência Alasca!! :)
    Ficaremos lá por 20 dias e essa é só uma das muitas coisas que eu quero experimentar…

    Nem sei a inveja que é ler que vocês estão a 3 horas de voo de Fairbanks… ahahahha
    Gente, vou demorar 1 dia inteiro pra chegar em Anchorage… Acho que ir pro Japão era mais rápido…

    Beijo, obrigada pelo post!!

    • camilapicolli
      6 de maio de 2016 at 1:14 PM

      Marcela, que delícia, eu acho que tu vai ver a Aurora certo – 20 dias é bastante! Agora até eu fiquei ansiosa por ti, hahahaha. Vou arrumar a informação do Denali. Super beijo!

  • Laura
    5 de maio de 2016 at 11:02 AM

    Nossa, que aventura!!Tudo de bom!

  • Rita Copetti de Queiroz
    4 de maio de 2016 at 7:37 AM

    Ta decidido! Proibido o energetico na próxima caçada a aurora!!

    Camila, a raposinha, que coisa incrível. Aqui já conseguimos ver lobinhos guarás nos Campos de Cima da Serra, um inclusive ficou quase dois minutos nos olhando parado na estrada e nos parados olhando pra ele, sem reação de pegar a camera. Foi como se ele se exibisse pra gente dizendo “me olhem, esqueçam a maquina fotografica”!

    • camilapicolli
      4 de maio de 2016 at 10:43 PM

      Que amor, Rita! Adoro ver animais selvagens, mas não tenho tido muita sorte… heheh. E sim, nada de energético!

  • Anderson
    4 de maio de 2016 at 7:24 AM

    O Aeroporto fica em Anchorage? O Alaska me mete medo… Sou doido por histórias de investigações e serial killers e estes sempre fogem pro Alaska… Ta cheio de fugitivo da lei lá… Baita experiência! Pena que tu não fez muitas fotos do local. Adoro ver fotos. Ou meu celular não tá carregando tudo…

    • camilapicolli
      4 de maio de 2016 at 10:46 PM

      Oi Anderson! Sim, o Alasca é famoso pela violência. Além dos fugitivos, as pessoas de lá bebem muito e têm armas, não é uma boa combinação. Eu não fiz muitas fotos mesmo, que pena. Nós descemos no aeroporto de Fairbanks ;).

LEAVE A COMMENT

Reserve seu Hotel



Booking.com

Guias em Seattle

Categorias

Sobre a Blogueira

Camila Picolli

Sou Camila Picolli, publicitária, gaúcha e moro em Seattle desde 2011...mais →

Mila no Instagram