“I want to wake up in that city that never sleeps..”

Quem não fala inglês não terá nenhum problema em NYC. Nas lojas e restaurantes todos percebiam meu sotaque e tentavam falar português ou espanhol (nada bom para quem está querendo melhorar o inglês). Em uma loja a atendente era do Egito e falava português perfeito! Fiquei impressionada. Além disso, algumas pessoas são muito receptivas e gostam de ajudar. Basta pedir uma informação que virão muitas dicas junto. No metrô um rapaz me deu várias sugestões de atrações perto do Ground Zero, uma senhora ajudou meu pai a conseguir um lugar para sentar e outra puxou assunto perguntando de onde eu era. Porém, tem que pedir ajuda para a pessoa certa, hahaha. Se alguém estiver na correria, indo para o trabalho ou coisa do tipo, a chance desta pessoa ser grossa é muito grande.

A região onde ficamos é chamada de Little Brazil, então nas ruas ouvimos muitas pessoas falando português. No nosso hotel tinha bastante brasileiros e inclusive 40% dos funcionários falam a nossa língua.

Chegamos pelo aeroporto JFK, que fica bem longe de Manhattan. Como tínhamos bastante malas (meus pais não voltaram para Seattle depois de NY) nem seria possível pegar metrô. O valor do táxi é tabelado: $50 + gorjeta. Considerando a distância até achei o preço justo. Além disso, como bons turistas tínhamos que pegar o taxi amarelo de NY, não é?

Na quarta-feira só consguimos ir na Time Square, para ver a concentração gigantesca de luminosos e turistas. A rua “ferve”. Ficamos muito tempo admirando tudo.

Time Square I

 

Time Square II

 

Time Square III

 

Lá tem vários artistas de rua fazendo
de tudo para ganhar uma grana. Esta
estava sem blusa!!! ahahaha

 

Que tal?

No segundo dia fomos para Lower Manhattan. Como era longe do nosso hotel, pegamos o Metrô (bem fácil) e depois fizemos um roteiro andando pela região. Começamos pelo City Hall Park, descemos para o sul pela Broadway e paramos na St. Paul’s Chapel. Como fica perto do Ground Zero, esta igreja tem muitas homenagens às vítimas dos atentados de 11 de Setembro.

Pai e mãe na escada do metrô

 

No City Hall Park

 

Mãe no City Hall Park… adorei esta escultura

 

As grades da St Paul’s Chapel estavam com estas fitas brancas
em lembrança às vítimas do atentado de 9/11

 

Dentro da capela tem vários tipos de homenagens… nesta
mesa tem fotos das vítimas com mensagens…

 

O chapéu de um bombeiro

Atrás da Igreja está o Ground Zero, onde ficava o antigo World Trade Center. Nós não fizemos a visitação, só olhamos por fora. Passear por toda aquela região dá uma emoção. Pensamos em todas as pessoas que  fizeram parte da tragédia. Para ver a obra fomos no prédio World Financial Center, que tem uma vista bem boa. Saindo deste prédio chega-se na beira do Hudson River e dá para ver New Jersey.

Obras do novo WTC

 

Pai e mãe com o Hudson River ao fundo….

Do Ground Zero fomos caminhando em direção à Brooklyn Bridge, ponte que liga Manhattan ao Brooklyn e é famosa pela vista linda que tem da ilha. A ponte tem no total 1,6 km e uma passarela só para pedestres. Como queríamos atravessá-la mas estávamos “economizando tempo”, alugamos bicicletas! O passeio foi bem divertido. Fizemos ida e volta (3,2km) em mais ou menos 40 minutos. No final tomamos um banho de chuva! O valor do aluguel é $12 para cada bike (1 hora).

Início do trajeto

 

Linda esta ponte

 

A ponte e Manhattan ao fundo

Continuamos andando em direção à Little Italy, onde íamos almoçar. No caminho passamos por Chinatown, mas só olhamos algumas lojinhas. A Little Italy é super legal. Cheia de restaurantes deliciosos, cafés e aquele “calor” que os italianos têm. Em setembro a Feast of San Gennaro, santo padroeiro de Napole, enche a rua Mulberry de barrascas enfeitadas e turistas. Nós adoramos a festança.

Mamis em uma lojinha de Chinatown..
tudo super barato ;)

 

Um prédio bem tradicional na Little Italy

 

A Ferrara é uma confeitaria bem famosa de NY,
fica também na Little Italy.

 

Hummmmm

 

Provamos o sorvete da Ferrara e estava
uma delícia!

Ao lado da Little Italy está o Soho, bairro que antigamente era a zona industrial. No século 20 ele tornou-se famoso por concentrar galerias de arte e hoje tem muitas lojas sofisticadas, bares e restaurantes, cafés e locais de apresentações musicais. Nós não conseguimos passear muito por lá, pois começou a chover e estava frio.

Mas não deixamos de passar no Dean & DeLuca, na esquina da Prince com a Broadway. O mercado oferece doces finos, carnes, peixes, pães, queijos, frutas. Tudo de altíssima qualidade.

Fachada da Dean & DeLuca

Em Lower Manhattan nós não conseguimos fazer duas atrações bem importantes: Wall Street e Estátua da Liberdade.

Na sequência conto mais um pouquinho sobre NYC! Este post já está muito grande e ainda tem bastante coisa legal.

2 Comentários

  • Pingback: Ano Novo em Nova Iorque | Livre & Leve

  • Michele
    19 de setembro de 2011 at 9:55 AM

    ai Camis!! me convida pra passear aí contigo?? sim sim sim sim eu vou!! heheheheehquando começam tuas aulas? tu não vem mais nos visitar? buá.bjo bjo

LEAVE A COMMENT

Reserve seu Hotel



Booking.com

Guias em Seattle

Categorias

Sobre a Blogueira

Camila Picolli

Sou Camila Picolli, publicitária, gaúcha e moro em Seattle desde 2011...mais →

Mila no Instagram